O Que Restou de Nós? – Capítulo 02

Heloísa é humilhada e Humberto some. Leia o segundo capítulo de O Que Restou de Nós?

0
245
portal-comenta-o-que-restou-de-ns--captulo-02

LEIA O CAPÍTULO 1

CENA 1 – INT. / SUPERMERCADOS FALCÃO/ESCRITÓRIO – NOITE.

O bandido continua com a arma apontada para a cabeça de Enzo que desliga o telefone.

ENCAPUZADO 2 (tom agressivo): Passa lá pra frente antes que eu não mude de ideia e estoure os seus miolos.

Enzo vai para a frente de caixa. Luísa já deu tudo o que tinha e os outros continuam pegando produtos.

ENCAPUZADO 3: Vamos cara! A gente já pegou o que veio pegar.

Paloma começa a chorar e Conrado pega sua mão.

CONRADO: Fique calma, eles não vão fazer nada com a gente.

O encapuzado 3 repara em Paloma e vai até ela com a arma, passa em seus cabelos e sorri.

ENCAPUZADO 3: Coitadinha. Não fica com medo, não. Você quer que eu te acalme?

Encapuzado 2 volta para a frente de caixa e não gosta do que vê.

ENCAPUZADO 2: Ficou louco? Vamos embora daqui! Já pegamos tudo!

ENCAPUZADO 3: Coloquem no carro enquanto eu seguro eles aqui!

Os outros dois vão para o carro e parecem estar discutindo. Depois de colocarem tudo no carro, o encapuzado 3 vai até eles e partem com o carro.

CONRADO: Está todo mundo bem?

LUÍSA (nervosa): Eu sabia que trabalhar em um supermercado na beira da estrada de madrugada não ia dar certo.

ENZO: Eu preciso chamar a polícia e avisar os donos. Esses vermes! Bandido bom, é bandido morto! Raça nojenta!

PALOMA (chora): Mais alguma coisa pra acontecer essa noite?

CONRADO (tenta acalma-la): Fica calma, vai ficar tudo bem.

LUÍSA: Qual o problema em abrir só durante o dia? Nenhuma alma entra aqui durante a madrugada.

CONRADO: Mas eu entrei!

LUÍSA: Você foi exceção. Eu preciso trabalhar, mas eu não sei se estou preparada para passar por isso.

ENZO: Realmente muito estranho você entrar justo quando somos assaltados.

CONRADO: Você está insinuando alguma coisa?

ENZO: Só estou dizendo que é muito estranho.

CONRADO: Você já chamou a polícia? Faço questão de estar aqui quando eles chegarem e a minha tia também. Quem não deve, não teme.

ENZO: Você me parece um daqueles lobos em pele de cordeiro.

CONRADO: Você não me conhece! Então limpe a sua boca antes de falar qualquer coisa sobre a minha pessoa.

Enzo sai para ligar para a polícia. Corta para:

CENA 2 – INT. / RESIDÊNCIA DA FAMÍLIA FALCÃO/SALA DE ESTAR – NOITE.

Marta desce as escadas com raiva. 

HUMBERTO: O que aconteceu?

MARTA: Assaltaram a loja 2 e vou ter que ir lá.

HUMBERTO: Eu já falei para você que aquele ponto é perigoso para estar aberto 24 horas.

MARTA: Se você quer ter dinheiro, você precisa trabalhar. Como é que eu vou vender se tiver fechado?

HUMBERTO: Você realmente não consegue ouvir uma opinião contrária. Desisto!

MARTA: Sabe esse dinheiro que te faz ter uma vida boa? Esse mercado também é responsável por ele. Você vai ir comigo ou vai ficar aqui me enchendo a paciência?

HUMBERTO: Amanhã é meu casamento, eu não posso sair agora.

MARTA: Você vai me deixar ir sozinha para aquele lugar?

HUMBERTO: Se você tem coragem de deixar funcionários naquele lugar, você pode muito bem ir sozinha e encarar. Ou então convidar o motorista para te acompanhar. Afinal, Frederico está com você em todos os lugares.

MARTA: Realmente! Frederico é o filho que eu não tive.

Marta sai e deixa Humberto falando sozinho. Corta para:

CENA 3 – EXT. / ESTACIONAMENTO – NOITE.

Após ser liberado, Conrado fuma um cigarro em seu carro enquanto olha para Paloma dando seu depoimento para a polícia. Ele se assusta quando Marta bate em seu vidro. Ele desce e abraça sua tia.

MARTA: O que você está fazendo aqui?

CONRADO: Eu estava quando tudo aconteceu e optei por esperar a senhora.

MARTA: Precisei me deslocar até aqui pois queriam falar com a dona. Sinto uma falta do seu tio nessas horas!

CONRADO: O prejuízo não foi tão grande, mas eles levaram boa quantia em dinheiro.

MARTA: Alguém se machucou?

CONRADO: Não!

MARTA: Graças a Deus! Já pensou ter que fingir empatia pra família de morto? Ninguém merece! Agora vou lá resolver isso! E vê se aparece!

CONRADO: Pode deixar!

Conrado volta para dentro do carro e acende outro cigarro. Começa a chover e Paloma sai do mercado para ir embora. Pouco tempo depois, Conrado para no seu lado.

CONRADO: Entra!

PALOMA: Não precisa!

CONRADO: Você vai se molhar muito mais se não pegar essa carona.

PALOMA: Eu não moro longe.

CONRADO: Tem certeza que depois de tudo o que passou prefere ir para a casa sozinha?

Paloma já molhada entra no carro. Conrado pega uma jaqueta sua que está no banco de trás e dá para ela.

CONRADO: Você vai pegar um resfriado. Coloque essa jaqueta!

PALOMA: Por qual motivo você está sendo tão legal comigo?

CONRADO: Eu tenho motivos para não ser legal com você?

A música “Calendário – Anavitória” começa a tocar. Paloma fica sem graça e desvia o olhar. Conrado arranca com o carro. Corta para:

CENA 4 – INT. / RESIDÊNCIA DA FAMÍLIA FALCÃO/QUARTO – NOITE.

Humberto e Heloísa estão deitados após fazerem amor. Suados e cobertos apenas com um lençol, ela a abraça.

HUMBERTO: Como você está se sentindo?

HELOÍSA: A mulher mais feliz do mundo!

HUMBERTO: Amanhã é o início de uma nova fase na nossa vida meu amor! Eu quero ser o homem que te arranca sorrisos até o final dos dias.

HELOÍSA: E eu vou ter a sorte de te retribuir tudo isso até o fim.

Os dois se beijam apaixonados. Algum tempo depois escutam um barulho vindo do andar debaixo.

HELOÍSA: Que barulho é esse?

HUMBERTO: Deve ter sido a minha mãe que chegou.

Humberto abraça novamente Heloísa e os dois dormem. Cortam para:

CENA 5 – EXT. / CARRO – NOITE.

Conrado para o carro e a chuva aumenta cada vez mais. 

CONRADO: Eu vou precisar parar um pouco, a chuva não para e está cada vez pior de enxergar com essa iluminação horrível.

PALOMA: Sem problemas! Eu estou perto de casa. Você só precisa virar a próxima direita e chegamos. Se quiser, pode esperar a chuva passar lá.

CONRADO: Vou tentar. Seus pais não vão achar ruim?

PALOMA: Meus pais moram no interior, eu vim pra cá trabalhar para ajudá-los.

CONRADO: Entendi!

PALOMA: Só não repara que a casa onde moro é simples.

Conrado sorri e arranca com o carro. Pouco tempo depois os dois chegam na casa de Paloma. Eles descem do carro e correm para a casa. Corta para:

CENA 6 – INT. / PRÉDIO DE CONRADO/CORREDOR – NOITE.

Encharcada, Rebeca aperta a campainha sem sucesso. Ela não esconde a raiva que está sentindo.

REBECA (grita): Abre essa porta! Eu sei que você está aí! Você me fez andar por duas horas, você me paga! Abre essa porta!

Rebeca não obtém sucesso e decide pegar a chave extra escondida em um vaso. Ela entra no apartamento. 

REBECA: Quer dizer que o desgraçado ainda não chegou?!

Rebeca vai até o telefone e liga para ele que não atende. 

REBECA: Aonde você está!! Atende!!!

Em uma crise de raiva, Rebeca começa a quebrar tudo do apartamento.

REBECA (grita): Enquanto eu vinha até você, você se deitava com outra. Desgraçado! Por isso me deixou sozinha na rua? Você me paga! Me paga!

Depois de destruir a maior parte das coisas do apartamento, deita na cama de Conrado e começa a cheirar a roupa de cama. Corta para:

CENA 7 – INT. / CASA DE PALOMA/SALA DE ESTAR – NOITE.

Paloma entrega uma toalha para Conrado que tira a camiseta para se secar. 

PALOMA: Se quiser tomar um banho quente, fique a vontade.

CONRADO: Não precisa. Obrigado pela toalha!

PALOMA: Eu vou fazer algo para comer. Você quer algo?

CONRADO: Eu aceito o que você fizer.

Paloma vai para a cozinha e Conrado vai atrás dela, sentando-se na mesa e a observando.

PALOMA: Obrigada por me acalmar na hora em que tudo aconteceu.

CONRADO: Eu fiz o que qualquer um faria.

Paloma tenta desviar o olhar do corpo de Conrado, mas não consegue disfarçar a tensão sexual que existe entre os dois. Conrado se levanta e vai até ela.

CONRADO: Você quer ajuda?

PALOMA: Eu…

Paloma se vira e os dois se olham. Tempo depois se beijam. Um beijo eufórico e ao mesmo tempo calmo. Os dois começam a se despir e partem para o quarto. Ao som de “Calendário – Anavitória”, transam. Corta para:

CENA 8 – INT. / RESIDÊNCIA DA FAMÍLIA FALCÃO/QUARTO – DIA.

Heloísa acorda e percebe que Humberto não está no quarto. Ela sorri e se levanta indo direto para o banho. Ela sai do banho e desce as escadas. Marta está sentada na sala de jantar tomando café.

MARTA: Preparada para o grande dia?

HELOÍSA (estranhando o comportamento da sogra): Com certeza! Você viu o Humberto?

MARTA: Você é pobre, mas já deve ter ouvido que o noivo não pode ver a noiva antes do casamento. Ele saiu. Cedo. Não me disse para aonde ia, mas deve ficar em um hotel até o horário.

HELOÍSA: Então eu vou começar a me arrumar.

MARTA: Aquela sua amiga já está esperando com o cabeleireiro e o vestido. No quarto de hospedes!

Heloísa sobe as escadas. Corta para:

CENA 9 – INT. / CASA DE PALOMA/QUARTO – DIA.

Conrado acorda e sorri ao ver Paloma dormindo. A garota acorda em seguida tímida.

CONRADO: Dormiu bem?

PALOMA: Como há muito tempo eu não dormia.

CONRADO: Você é incrível!

PALOMA: Ainda estou tentando entender o que viu em mim.

CONRADO: Uma garota diferente de todas as garotas de hoje em dia. Simples, mas que sabe o que quer. Eu vou poder ver você novamente?

PALOMA: Você quer me ver novamente?

CONRADO: Se tem uma coisa que eu quero é vê-la novamente.

Os dois se beijam. Tempo depois, Paloma levanta.

PALOMA: Vou fazer um café pra nós.

CONRADO: Não, você pode deitar novamente! Eu faço um café para nós!

Conrado se levanta e Paloma deita com um sorriso nos lábios. Corta para:

CENA 10 – INT. / RESIDÊNCIA DA FAMÍLIA FALCÃO/QUARTO – DIA.

Heloísa já está quase pronta. Nize fica feliz ao ver a amiga e se emociona.

HELOÍSA (preocupada): Não estou conseguindo falar com o Humberto!

NIZE: Fique calma que logo ele deve chegar. Você tem noção de que em uma hora vai estar casando?

HELOÍSA: Como está a decoração?

NIZE: Linda!

HELOÍSA: Já chegou alguém?

NIZE: Ainda não, mas devem começar a chegar logo!

Heloísa volta para os últimos detalhes da maquiagem. Corta para:

CENA 11 – INT. / APARTAMENTO DE CONRADO/ENTRADA – DIA.

Conrado entra no apartamento e se apavora ao ver tudo quebrado. 

CONRADO: Mas o que aconteceu aqui?

Conrado vai até o quarto e Rebeca está nua na cama.

REBECA: Eu esperei você a noite toda! Aonde você esteve?

CONRADO: O que significa isso aqui? O que você fez com o meu apartamento?

Rebeca encara Conrado. Corta para:

CENA 12 – INT. / RESIDÊNCIA DA FAMÍLIA FALCÃO/QUARTO – DIA.

Nilze entra no quarto preocupada.

NILZE: Eu não queria te preocupar, mas tem algo errado.

HELOÍSA: Como assim?

NILZE: Não chegou ninguém. Nem o Humberto ainda.

HELOÍSA: Do que você está falando?

Heloísa desce as escadas preocupada e dá de cara com Marta tomando um champanhe.

HELOÍSA: O que você fez com meu noivo? Meus convidados?

MARTA (debochando): Seus convidados? Seu noivo? Infelizmente nenhum deles vai poder aparecer. O motivo? Não vai haver casamento. Meu filho caiu na real e decidiu não casar com uma… qualquer como você.

HELOÍSA (chorando): Do que você está falando? O que você fez com o Humberto?

MARTA: Eu não precisei fazer nada! A única coisa que eu fiz foi dar um fim nos convites, fora isso, seu amado que decidiu sair do país por conta própria.

HELOÍSA (grita): Você que armou para mim. O que você fez com o seu filho sua desgraçada? Aonde está o Humberto?

Nilze vê a cena e fica sem saber o que fazer. Marta faz um sinal para os seguranças e eles pegam Heloísa pelo braço.

HELOÍSA (grita): Me solta!

MARTA (olhando bem nos olhos de Heloísa): Seu lugar é na rua. Junto com gente da sua espécie. Pobres. Nojentos. Sem cultura. Você pensou mesmo que eu ia deixar esse casamento acontecer? Coitada.

HELOÍSA (grita): Aonde está o Humberto? O que você fez com ele?

MARTA (vai até Heloísa e rasga o vestido de noiva): Eu paguei tudo isso aqui. Então você não tem o direito de sair com nada! Agora levem! E você vai junto!

NILZE: Você é o pior ser humano que eu já conheci na vida.

Nilze vai para a rua. Os seguranças jogam Heloísa na calçada que chora desesperadamente. Corta para:

CENA 13 – INT. / RESIDÊNCIA DA FAMÍLIA FALCÃO/PÁTIO – DIA.

Marta vai até o altar que foi preparado para o casamento com uma garrafa de champanhe e observa a foto do casal. Ela começa a rir e começa a despejar a bebida por tudo. Corta para:

FIM DO CAPÍTULO 2 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here