Fugindo do clichê, Closer – Perto Demais mostra o que há de pior em seus protagonistas

Protagonizado por Julia Roberts, filme de 2005 surpreende com roteiro bem elaborado e ritmo invejável

0
403
portal-comenta-fugindo-do-clich-closer--perto-demais-mostra-o-que-h-de-pior-em-seus-protagonistas
Foto: Divulgação

Closer – Perto Demais, um filme de 2005 com uma trama inteligente e perigosa sobre os encontros e desencontros das relações amorosas de quatro protagonistas. A sinopse real é a seguinte: Anna (Julia Roberts) é uma fotógrafa bem-sucedida, que se divorciou recentemente. Ela conhece e seduz Dan (Jude Law), um aspirante a romancista que ganha a vida escrevendo obituários, mas se casa com Larry (Clive Owen). Dan mantém um caso secreto com Anna, mesmo após ela se casar e usa Alice (Natalie Portman), uma stripper, como musa inspiradora para ganhar confiança e tentar conquistar o amor de Anna.

O que poderia ser só mais um filme sobre relacionamentos amorosos, torna-se muito mais que isso ao aprofundar nas entranhas de cada personagem. Desenrola-se ampliando o olhar no conflito entre o encanto pelo desconhecido e na ânsia do ser humano, entre desejar e ser desejado. Com excelentes atuações, principalmente de Roberts e Portman, Mike Nichols volta a direção com todo o fôlego. Um roteiro simplesmente fantástico, diálogos brilhantes e ritmo invejável. Closer acaba se transformando em um brilhante estudo de personagens evitando cair em qualquer tipo de clichê. Aproveito aqui para destacar também, Jude Law, que surpreende ao transformar o egoísta Dan em uma figura adorável e sensível e Clive Owen, que entrega sua melhor atuação. O cenário fotográfico e trilha sonora completam para um filme rico em nuances e extremamente audacioso. É uma aula de cinema, sem efeitos mirabolantes. Apresenta uma linguagem forte e realista, o que o deixa ainda mais chocante e impressionante, até mesmo para que a gente reflita sobre tais discursos. Não é aconselhado a toda a família devido ao seu conteúdo altamente sexual, mas sem dúvida deve ser apreciada sempre que possível. Não recomendo para quem gosta de finais previsíveis.

Texto escrito por Delduque Avelino

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here