É Assim que Acaba – Colleen Hoover | Resenha do livro

Uma leitura que emociona e que transforma. Que machuca, mas engrandece. Fica a mensagem que é possível recomeçar, mesmo que isso nos destrua por dentro.

0
243
portal-comenta--assim-que-acaba--colleen-hoover--resenha-do-livro
Foto: Enquandrando Livros

De uma forma nuae crua, CoHo desenvolve um enredo totalmente emocionante em “É assim que acaba”.Com a escrita perfeita como sempre, a autora nos leva por uma história linda ao mesmo tempo que sofrida. Lily nem sempre teve uma vida fácil, mas isso nunca a impediu de trabalhar arduamente para conquistar a vida tão sonhada. Ela percorreu um longo caminho desde ainfância, em uma cidadezinha no Maine: se formou em marketing, mudou para Boston e abriu a própria loja. Então, quando se sente atraída por um lindo neurocirurgião chamado Ryle Kincaid, tudo parece perfeito demais para ser verdade. Ryle é confiante, teimoso, talvez até um pouco arrogante. Ele também é sensível, brilhante e se sente atraído por Lily. Porém, sua grande aversão arelacionamentos é perturbadora. Além de estar sobrecarregada com as questões sobre seu novo relacionamento, Lily não consegue tirar Atlas Corrigan da cabeça— seu primeiro amor e a ligação com o passado que ela deixou para trás. Ele era seu protetor, alguém com quem tinha grande afinidade. Quando Atlas reaparece de repente, tudo que Lily construiu com Ryle fica em risco. Com um livro ousado e extremamente pessoal, Colleen Hoover conta uma história arrasadora, mas também inovadora, que não tem medo de discutir temas como abuso e violência doméstica. Uma narrativa inesquecível sobre um amor que custa caro demais. Lily teve uma adolescência bem conturbada em família. Após alguns anos, vai para Boston querendo dar uma guinada na vida e, tentar deixar os traumas para trás. Movida por sua paixão por flores, abre uma floricultura e conhece Ryle, o neurocirurgião gato, atraente e bem confiante. O convívio entre os dois só aumenta, pois, sua funcionária, Allysa, é irmã de Ryle. Ironia do destino? Talvez… o que o destino aprontou com Lily está além do que podíamos imaginar. Tudo que tanto a machucou no passado, volta, talvez ainda mais dolorido que antes. O que parecia tão perfeito, aos poucos, vai caindo ladeira a baixo e fazendo com que Lily passe a viver momentos conflitantes e que nunca pensou que viveria. Aliás, jurou a si mesma que não deixaria que acontecesse com ela. Mas, aconteceu.

Personagens totalmente reais, com dilemas e problemas reais que nos provocam sentimentos contraditórios e enlouquecedores. CoHo nos deixa sem chão. Impossível não terminar a leitura totalmente emocionado e, como no meu caso, com muitas e muitas lágrimas derramadas. Posso dizer, com toda certeza, que nunca chorei tanto lendo um livro. Chorei até a última linha dos Agradecimentos pois, até ali, CoHo consegue nos emocionar e não foi pouco, não. Sei que a história é linda, mas dói. Triste sim, mas encorajadora. Há traumas e superação. Uma leitura que emociona e que transforma. Que machuca, mas engrandece. Fica amensagem que é possível recomeçar, mesmo que isso nos destrua por dentro. O importante é continuar a nadar, o que não significa aceitar o que não nos faz bem. Um tapa na cara de quem lê, uma identificação para quem vive ou já viveu esse drama.

CoHo é uma dasminhas autoras preferidas. Quando ela lança algo, eu fico muito ansioso para ler. Essa paixão não é somente pela escrita perfeita, fluida e envolvente, mas também por cada sentimento que ela consegue mexer. A cada história lida da Hoover é impossível ficar imune a todas as mensagens que ela passa e nisso, encantar-se por cada obra sua é inevitável. Amo de paixão e recomendo qualquer livro dessa autora incrível.

Uma resenha escrita por Delduque Avelino

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here